quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Qual a diferença entre arquiteto e engenheiro?

Escrevi o texto abaixo há quase 5 anos atrás, mas percebo que essa é uma pergunta recorrente. Então resolvi republicá-lo:
___________________
"Qual a diferença entre arquiteto e engenheiro?" Essa pergunta eu escuto com frequencia, tanto de clientes quanto de parentes e até de estudantes. Percebi que essa é praticamente uma dúvida universal. A famosa pergunta que não quer calar!
Então, vamos logo desvendandar esse mistério!
ARQUITETURA e ENGENHARIA CIVIL são áreas afins e complementares.
Uma obra bem executada depende do trabalho consciente desses dois profissionais.
O ARQUITETO é o profissional responsável em elaborar o projeto. Ele tem contato direto com o cliente, compreende suas necessidades a partir de muita conversa e muita observação. Durante as visitas o ARQUITETO não apenas escuta o que o cliente tem a dizer, mas observa seu modo de viver, suas preferências, seu comportamento, seu relacionamento com a família (se o projeto for residencial) ou com seus funcionários (se o projeto for comercial). Muitas vezes a partir dessas observações percebemos necessidades do projeto que nem mesmo o cliente se deu conta.
A partir da coleta dessas informações iniciais, o ARQUITETO inicia uma segunda avaliação: a área onde será executada a obra (o terreno onde será a connstrução, a casa que será reformada ou ampliada, o escritório que será modificado, a empresa que precisa de reorganização de espaços, etc.).
No projeto arquitetônico são realizados vários estudos para a concepção da edificação: estudo da ação do sol, para proteger alguns ambientes ou para aproveitar ao máximo em outros; estudo dos ventos, para aproveitar melhor a ventilação natural, deixando os ambientes termicamente mais confortáveis; e vários outros estudos visando a qualidade dos espaçoes criados.
O ARQUITETO não trabalha livremente. Toda construção precisa ter autorização de órgãos públicos. O principal é a Prefeitura Municipal, mas em alguns casos a obra também precisa ter licença da Vigilância Sanitária e do Corpo de Bombeiros (estabelecimentos de saúde_ hospitais, clínicas,laboratórios_; locais de reunião ou aglomeração de pessoas _academias, teatros, cinemas...). Para conseguir essa autorização dos órgãos públicos o ARQUITETO tem a obrigação de elaborar os projetos seguindo normas e leis. São ao legislações urbanísticas (federais, estaduais e municipais), sanitárias, de segurança contra incêndio e pânico, de meio ambiente, etc. Elaborar o projeto seguindo as necessidades do cleinte e as exigências dos órgãos públicos é um trabalho bastante exaustivo.
Com o projeto elaborado e autorizado pelo órgãos competentes a obra pode ser iniciada.
Agora você deve estar se perguntando: Mas e o ENGENHEIRO, o que ele faz? Até agora só se falou no trabalho do ARQUITETO!!!
O ENGENHEIRO é o profissional responsável em detalhar algumas partes do projeto. A estrutura é a principal delas. A partir do projeto elaborado pelo ARQUITETO, o ENGENHEIRO faz uma proposta para a execução da estrutura (localização e dimensões de pilares, vigas, lajes, fundação, e outros elementos relacionados a estrutura). Cabe ao ARQUITETO analisar o projeto de estrutura para propor alterações que possam harmonizar a estrutura ao projeto arquitetônico (mudar a posição de pilar, rever dimensões de vigas, etc).O ENGENHEIRO então, avalia as alterações solicitadas pelo ARQUITETO e determina se as mesmas podem ou não ser realizadas.
É um trabalho conjunto. O ARQUITETO e o ENGENHEIRO precisam ter grande afinidade para que o projeto atinja uma alta qualidade de elaboração.
Além da estrutura, o ENGENHEIRO também detalha sistemas elétricos, rede hidrossanitária, e outros projetos complementares, seguindo o projeto arquitetônico.
O acompanhamento da obra pode ser realizado pelo ARQUITETO ou pelo ENGENHEIRO. Como o ARQUITETO fica responsável em analisar a compatibilização dos projetos complementares ao projeto arquitetônico, muitas vezes é o ENGENHEIRO que fica na obra, organizando a mão-de-obra, a divisão das tarefas, recebendo os materiais dos fornecedores, etc.
Havendo problemas, o ENGENHEIRO solicita a presença do ARQUITETO na obra para juntos resolverem as pendências e os eventuais problemas.
Ambos os profissionais são essenciais! O trabalho de ambos é fundamental! É a afinidade e a sincronia do trabalho do ARQUITETO e do ENGENHEIRO que permite a conclusão de uma obra com qualidade e principalmente econômica.
CONTRATE UM ARQUITETO E UM ENGENHEIRO!
Você perceberá as vantagens de contar com o apoio de dois profissionais especializados, preparados para atender suas necessidades da melhor forma possível!

Este texto foi postado originalmente em 01/02/2006 : http://jmarreirosarquiteta.blog.uol.com.br/

4 comentários:

  1. Olá Jéssica tudo bom? Irei iniciar o curso de Arquitetura e Urbanismo neste ano 2011

    Também tive essa dúvida sobre a engenharia cível com a arquitetura...Como tenho afinidade com área interiores, arte.. vou seguir AU...

    Porém acho um curso muito restritivo moro em São Paulo Capital, aqui tem centenas de faculdades.. Mas o tal curso de arquitetura é dificil acesso...
    Tirando faculdade públicas, federais..

    As particulares tem preços altissimos na faixa de dos 1680,00 a 2500,00 (integral) sem poder estagiar nos longos 5 anos!!!! Não é curso para qualquer um.. ao não ser que consiga bolsa, prouni... e outros meios..

    Quando encontramos faculdades acessiveis o nivel não é dos melhores...

    Ai volta novamente aquela dúvida poxa Por que não faço engenharia tem todas as faculdades ruím, boa , na elite, horários que conciliam com estágios... Mas acredito que não vale a pena fazer algo que vc não queira né...

    Bem resumindo depois de procurar muuuuito irei fazer Anhembi Morumbi..AU mesmo rs..

    Adorei seu blog..
    silvia thamires
    thamires21_21@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá Thamires. Obrigada por visitar o blog e por seu elogio. Tenho certeza que você tomou a decisão correta. Faculdade são 5 anos e penso que devemos dedicá-los àquilo que gostamos. Quanto ao estágio, eu fiz Arquitetura na UFF (Universidade Federal Fluminense) e lá também é integral. Mas a partir de 2 anos e meio a carga horária diminui e pude conciliar com um estágio, no qual fiquei por mais de 3 anos, até depois de me formar. Posso dizer que foi uma faculdade paralela. Aprendi muito lá. Portanto, fica aqui a dica: veja a grade curricular da tua faculdade e planeje seu estágio no período que as diciplinas começarem a diminuir. Você com certeza vai se empolgar mais com o curso colocando o que aprende em prática. Boa sorte. Visite sempre o blog. Em breve colocarei novos textos aqui. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Segundo Harvey, os arquitetos são criadores de espaço.
    -Harvey, David. A Condição Pós-moderna, Ed. Loyola, São Paulo,2009, 18ª ed.
    Entendo que o arquiteto é o artista que idealiza o espaço e o engenheiro é aquele que o materializa na medida do possível, estou certo?
    Você já viu o filme "A Origem" (disponível em dvd)?
    Bjs.
    Carlos Alberto.

    ResponderExcluir
  4. Sou arquiteto também... e montei um material sobre o assunto, baseado em normas, leis e atribuições federais e vigentes, práticas reais e teóricas. O assunto é amplo…

    Veja mais nesse link:

    http://arquitetoouengenheiro.blogspot.com.br/

    Abraços!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, elogio ou crítica. Sua opinião é muito importante para o BLOG.